Posts

Fascite Plantar – Lesões típicas em corredores

, ,

Fascite Plantar – Lesões típicas em corredores – A Fascite Plantar é a inflamação da Fáscia e tem como sintoma uma dor na “sola” dos pés, logo que acorda, durante o dia e atividades físicas. É muito comum tanto entre os corredores, quanto à população geral. Vemos por ai discursos do tipo:

“Já tratei, fiz fisioterapia, fiz gelo, melhorou, e a Fascite vira e mexe volta! “ ou “Já até me acostumei a correr com a dor!” Esses discursos são alarmantes e inaceitáveis!!!
A dor pode ser evitada e não devemos nos acostumar! Se ainda dói, você não tratou e solucionou a causa real! Procure ajuda de um fisioterapeuta. (A Clínica Reactive está à disposição e prontos para atendê-los)

Fascite plantar

O que é a Fáscia plantar?

A fáscia é uma banda fibrosa e firme que sustenta e mantém o arco plantar de pé.
Ela tem como função principal gerar tensão entre o calcâneo e os metatarsos e desta forma promover a formação do arco longitudinal do pé, conhecido como arco plantar.
O arco plantar por sua vez, será importante na absorção de impactos sobre os pés durante a marcha, corridas ou saltos.

O que pode causar a Fascite plantar?

Fascite plantar

Existem vários fatores que podem estar causando essa inflamação, dentre eles:

  • Evento traumático que envolve força de tração e cisalhamento
  • Absorção do do passo durante corrida, de forma inadequada
  • Core do pé ineficiente
  • Falta de alongamento e fortalecimento da panturrilha
  • Ausência de treinos de equilíbrio (propriocepção)
  • Falta de treinos de força dos quadris e abdômen
  • Tênis de corrida sem amortecimento adequado
  • Existência de esporão calcâneo
  • Calçados do dia a dia rígidos demais (rasteiras, sapatilhas e sapatênis) utilizados por tempo prolongado
  • Atrofia do Coxim gorduroso que acontece com o passar dos anos (geralmente após os 40 anos)
  • Excessos de treinos ou progressões muito abruptas;
  • Ausência de descanso;
  • Persistir correndo mesmo com dor
  • Sobrepeso

 

Como prevenir a Fascite plantar?

Sem dúvidas, a principal forma de prevenção é realizar (além dos treinos de corrida), treinos regulares de fortalecimento, mobilidade e equilíbrio.

A liberação miofascial da planta do pé e da panturrilha também é uma grande aliada.
Importante também, respeitar os limites do seu corpo, e ouvir seu treinador RunFun, quando ele diz para diminuir o ritmo, que está indo rápido demais, não só quanto à velocidade, mas quanto ao volume semanal de treino.

Como tratar, se eu já tenho Fascite Plantar?

Estudos revelam que a taxa de sucesso do tratamento conservador (fisioterapia) para a fascite plantar varia de 73% a 89%. Portanto procurar um profissional que identifique os fatores causadores da sua dor, e atue na correção dos mesmos e na diminuição da inflamação, é o primeiro passo.

Palmilhas confeccionadas sob medida, com desenho capaz de acomodar e dar suporte ao arco longitudinal medial, além de acolchoar a região do calcanhar para reduzir a pressão do apoio, podem ser úteis como forma complementar de tratamento, desde que associadas aos cuidados fisioterapêuticos e exercícios domiciliares.

Fascite plantar

Fascite Plantar – Lesões típicas em corredores

Esse conteúdo foi oferecido pelos nossos parceiros e especialistas da Clínica Reactive a quem agradecemos muito!

RunFun Assessoria Esportiva

Live – FOOT CORE – 22/04/2020

, ,

Live sobre FOOT CORE transmitido dia 22/04/2020 no Instagram.com/RunFunBr – Foot Core com Doutor Rodrigo Vicente e Elaine.

Live – FOOT CORE – 22/04/2020

RunFun Assessoria Esportiva

SÍNDROME DO TRATO ILIOTIBIAL

, ,

Síndrome do Trato Iliotibial também é conhecida como Síndrome do Corredor. Muito de vocês que estão lendo esse texto, já tenham sentido um incômodo na região lateral do joelho durante e pós corrida. Muitas vezes essa dor gera edema, diminuição da amplitude de movimento, piora o desempenho de performance na corrida e é confundida com lesão de Menisco,  quando na verdade ela é mais externa e “simples” de solucionar.

TRATO ILIOTIBIAL

O que é o Trato Iliotibial (TIT)?

O trato Iliotibial é um tecido conjuntivo forte e grosso, que recobre a lateral da coxa, indo do quadril (Ilíaco) até a lateral da Tíbia, região latero inferior do joelho.
Assim ele exerce influência tanto no quadril quanto no joelho.

Qual a Função do TIT?

Esse trato tem com funções:

– Estabilização anterolateral do joelho;
– Receber as inserções dos músculos glúteo máximo e tensor da fáscia lata;
– Agir em conjunto com outros músculos para o movimento de flexão e extensão de joelho.

Levando em consideração sua posição anatômica e funções, ele tem grande importância na postura e equilíbrio monopodálico (Um pé só no apoio, que ocorre o tempo todo na corrida).

TRATO ILIOTIBIAL

Por que dói?

Dói porque quando há uma sobrecarga e inflamação do tecido ; este fica mais espesso , gerando um atrito com o côndilo femoral distal.
E o que gera essa sobrecarga é o desalinhamento durante o passo ,com muitas repetições no processo da corrida ou exercício executado diversas vezes.

Como evitar a dor?

A melhor forma de evitar a dor é buscar a execução dos exercícios e do gesto da corrida de forma mais alinhada e simétrica possível e pós atividade, alongar e realizar liberação miofascial para evitar o acúmulo de tensão local.

Como tratar a dor já existente?

Para tratar a dor, o mais eficiente é acabar com o agente causador. No caso, uma avaliação fisioterapêutica da corrida é fundamental para identificar os déficits que estão causando essa sobrecarga e eliminá-los.
O fortalecimento da musculatura sinergista do trato Iliotibial também ajuda bastante, como exercícios de controle de joelho, alongamentos e liberações miofasciais. Sempre orientados por um profissional da saúde.

SÍNDROME DO TRATO ILIOTIBIAL

Esse conteúdo foi preparado pelos nossos parceiros e especialistas da Clínica Reactive, a quem agradecemos muito.

RunFun Assessoria Esportiva